ACELERAR NO ATUAL “STINT” DA SAÚDE


0 atual choque da COVID-19 exerce um alto peso social, humano e econômico e alerta sobre o quanto é importante estar saudável. No passado, as melhorias em saúde como vacinas, antibióticos, saneamento e nutrição entre outros, salvaram milhões de vidas, sendo um poderoso catalisador para o crescimento econômico.

Melhor saúde promove o crescimento econômico expandindo a força de trabalho e impulsionando a produtividade e, em paralelo promovendo imensos benefícios sociais. Entretanto, nos últimos anos, o foco na elevação dos custos de assistência médica tem dominado o debate pelo segmento, enquanto investimento em saúde para o retorno econômico tem estado basicamente ausente das discussões.

Tendências sugerem que saúde terá cada vez mais importância para a economia nos próximos momentos. Estima-se que o ônus das doenças será consideravelmente diminuído quando ações mais efetivas de atenção à saúde forem aplicadas. Os benefícios serão substanciais e atenção à saúde será essencial na evolução da assistência médica corporativa.

As implicações serão relevantes, quando as necessidades e os interesses dos usuários e empregadores estiverem alinhados e combinados, gerando redução da carga das doenças, combatendo e postergando o desenvolvimento de condições crônicas relacionadas ao envelhecimento e comportamentos de risco.

O beneficios de uma força de trabalho fisicamente e mentalmente mais saudável repercutirá na produtividade e ganhos organizacionais.

A COVID-19 proporciona um momento único para engajar as empresas nessa empreitada, pois expõe as vulnerabilidades da assistência médica, das cadeias de suprimento e das estruturas de atendimento, que estão sendo questionadas. Como sociedade temos que sair mais forte dessa crise, aspirando reduzir as distâncias entre doença e saúde, construindo um verdadeiro sistema de atenção à saúde e para isso quatro itens são imperativos:

  1. Tornar saúde prioridade

  2. Manter saúde na agenda de todos os usuários

  3. Entrega de saúde de forma mais efetiva pelos provedores

  4. Dobrar a aposta em inovações

Uma ótima contribuição ao tema (maior atenção à saúde) veio de James McGinnis, médico epidemiologista, ativo na política global de saúde, que através de seus estudos sobre os fatores determinantes da saúde reestruturou a noção de que um bom plano de assistência médica assegurava a saúde. Mostrou que predisposições genéticas, circunstâncias sociais, ambiente fisico, escolhas comportamentais e cuidados médicos contribuem para a boa saúde. (“The Case for More Active Policy Attention to Health Promotion”).

O que chama a atenção é que as escolhas comportamentais representam o domínio mais proeminente, enquanto que assistência médica tem pequena habilidade para melhorar a qualidade da saúde.

Evidente que a saúde de uma população é o produto da influência de todas essas variáveis, que são dinâmicas e cujo impacto depende de qual momento ocorrem na vida, considerando também condições as prévias e as subsequentes

Esse tipo de abordagem fará com que seja possivel construir um modelo melhor e mais efetivo, que não seja somente clinico, mas pessoal, ambiental e cultural. Essa é uma oportunidade para priorizar saúde...

Destaques
Arquivo
Acompanhe
  • Grey LinkedIn Icon
  • Cinzento Ícone Google+
  • Grey YouTube Icon

São Paulo - Brasil contato@cph.com.br

  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+