COVID-19 ATIVIDADE FISICA E AUMENTO DA IMUNIDADE


GRUPO SAÚDE CORPORATIVA



INTRODUÇÃO - Esse artigo tem a finalidade de mostrar a influência da atividade física na vitalidade e na imunidade humana comentando sobre alguns eventos fisiológicos e bioquímicos relacionados.

Somos projetados para a mobilidade e a maior parte de nossa massa corporal é formada pelo aparelho locomotor (esqueleto e musculatura), O instrumento básico da mobilidade é o musculo que varia seu nível metabólico num grau maior do que qualquer outro tecido, podendo chegar a processos oxidativos 50 vezes maiores durante o exercício do que em repouso (consumo de combustível e oxigênio aumenta 50 vezes) e em consequência o nível de remoção de calor, dióxido de carbono, água e produtos finais deve ser similarmente aumentado.


Daí a importância de uma boa saúde muscular. Temos mais de 600 músculos em nosso corpo, úteis no movimento, no bombeamento de sangue e também na respiração. Mantê-los saudáveis nos torna capazes de caminhar, correr, levantar objetos, praticar esportes e fazer outras coisas que gostamos. Exercício junto com suficiente repouso e dieta balanceada nos mantém saudáveis durante a vida e reforçam a imunidade.


SAÚDE MUSCULAR E COVID-19

A grande maioria nunca ouviu falar da IRISINA hormônio liberado pelos músculos durante a atividade física que pode ter efeito terapêutico em casos de COVID-19. Tem efeito modulador em genes associados à maior replicação do corona vírus dentro das células humanas. Atua nas células adiposas subcutâneas transformando a gordura branca em marrom, altamente termogenica, por meio do aumento da presença da proteína desacopladora mitocondrial (favorece a energia para a fosforilação oxidativa).


Outro aspecto positivo é que a irisina triplicou os níveis de transcrição do gene TRIB3. Em indivíduos idosos é comum ocorrer a diminuição da expressão desse gene, o que pode estar relacionado à maior replicação do SARS-CoV-2 e ao risco aumentado dessa população à COVID-19. Outro aspecto importante é sobre o tecido gordurosos aparentemente servir como repositório do vírus. Isso ajuda a entender por que indivíduos obesos têm maior risco de desenvolver a forma grave da COVID-19. Fora isso, indivíduos obesos tendem a ter níveis menores de irisina, assim como maiores quantidades da molécula receptora do vírus [ACE2], quando comparados a indivíduos não obesos”.


É também conhecida a capacidade moduladora do hormônio na atividade dos macrófagos (células de defesa do sistema imune), o que confere potencial propriedade anti-inflamatória. Nossa saude muscular tem muito a ver com nossa imunidade. Os músculos são considerados um órgão endócrino e quanto mais massa muscular maior o nosso metabolismo basal e a termogênese orgânica. Músculos fortes também mantem nossas articulações em boa forma e nosso equilíbrio, prevenindo quedas (um bom equilíbrio requer a coordenação de diversas partes do corpo – SNC, ouvido interno, olhos, músculos, ossos e articulações). E não podemos esquecer que atividades que mantém nossos músculos esqueléticos fortes também mantém forte o músculo cardíaco. Saúde muscular controla a glicemia, melhora o colesterol, mantem peso, reduz dores articulares e auxilia na depressão.


A inatividade física causa uma perda da proteína muscular resultando na diminuição da força. Pacientes hospitalizados pela COVID-19 chegam a perder até 30% da massa muscular após 10 dias de internação com repercussões graves na musculatura respiratória. Sem continuo treinamento de força e resistência muscular a taxa de declínio da massa muscular é grande. Músculos se tornam fortes desde que usados regularmente, especialmente contra uma resistência. Importante fortalecer os músculos do tronco que beneficiam a estabilidade, a postura e a respiração.


A pandemia pela COVID-19 é algo sem precedentes em todo o mundo, restringindo as atividades e ocasionando distanciamento social o que significa que a maioria das pessoas passa muito de seu tempo em casa que de certa forma favorece o sedentarismo. O impacto dessa inatividade é visto em muitas áreas como saúde fisica, mental e social. Qualquer movimento produzido pelos músculos esqueléticos e que requer gasto energético é definido como atividade física.


Existem 2 componentes da atividade física que devem ser considerados:

  • Aptidão aeróbica – inclui exercicios de longa duração e intensidade moderada que provoquem aumento da frequencia cardíaca, respiratória e gerem calor

  • Força muscular/equilíbrio - geralmente esquecidos, mas essencial na saúde

TRANSPIRE

Durante a COVID-19 é ainda mais importante ser fisicamente ativo pois ajuda na tonificação muscular, alivia tensão, melhora a circulação e cria uma rotina nesses dias inusitados. Os beneficios do treinamento de força muscular e equilíbrio incluem reforço na imunidade, melhora a capacidade oxidativo, desaceleração do processo de envelhecimento, melhora a circulação e mantém a massa muscular.


Manter-se ativo durante a pandemia é um desafio para todos nós. É necessário se movimentar mais e ficar menos tempo sentado.


Os benefícios são pertinentes em relação à COVID-19, pois:

  • Eleva a imunidade

  • Reduz a inflamação

  • Reduz a severidade da doença

  • Melhora as condições crônicas (co-morbidades) que elevam o risco da COVID-19

  • Reduz ansiedade e depressão

  • Equilibra o balanço do cortisol que atua positivamente na imunidade

Mantenha ou adquira esse hábito tão logo seja possivel...GO AHEAD

Destaques
Arquivo
Acompanhe
  • Grey LinkedIn Icon
  • Cinzento Ícone Google+