Promoção da Saúde Corporativa - Cap 13 - DINAMARCA

Essa série semanal é baseada no livro GLOBAL PERSPECTIVES IN WORKPLACE HEALTH PROMOTION (Karch & Kirsten – Jones & Bartlett NY), no qual participei como co-autor, oferece um relato global do status da promoção de saúde em organizações de 21 países contribuindo para uma força de trabalho mais saudável, aumento da produtividade e redução dos custos de assistência médica.

RICARDO DE MARCHI, MD


GRUPO SAÚDE CORPORATIVA

CAPÍTULO 13 - DINAMARCA


Autores:

· Thomas Skovgaard PhD University of Southern Denmark

· Finn Berggren- Gerlev Institute – European Network for Health

· Grupos étnicos: escandinavos, inuit, alemães, turcos, iranianos, somali

· Religião: evangélica luterana – 95%

· Língua oficial: dinamarquesa

· Governo: monarquia constitucional

· População: 6 milhões

· Idade média: 42 anos

· Expectativa de vida: 80 anos

· Renda anual percapita: US$ 61.000,00


INTRODUÇÃO


Quando se tem boa saúde, se dorme bem, se tem alta energia e se trabalha bem (Olsen 1912). Naquela época era através do trabalho que sutilmente se tentava promover a saúde da população dinamarquesa. Seu livro Health for All é interessante porque muitos associam esse slogan com tempos mais atuais.


Em 1970 a OMS começou a promover uma visão mais ampla sobre os fatores determinantes da saúde e do bem-estar do ser humano. Atualmente existe um consenso que uma variedade de fatores impacta na saúde. Existem pontos em comum entre o trabalho publicado por Olsen e um realizado por um autor contemporâneo que arquitetou a moderna versão do Health for All, (Mahler) outro dinamarquês, diretor geral da OMS entre 1973 e 1988. Apesar de que muito se passou entre esses dois trabalhos, eles partilham uma perspectiva comum – a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida têm um fluxo constante de perdas e ganhos. O desafio tanto para o indivíduo comum quanto para profissionais do setor é tornar a saúde um recurso do dia a dia.


Questões predominantes


Em 1999 o governo dinamarquês adotou o programa de saúde pública e promoção da saúde com ações orientadas para cenários mais saudáveis no dia a dia da população, Esse programa foi endossado pelo parlamento e tem sido largamente utilizado em todo o país. Procura analisar os desafios e oportunidades presentes e futuros em relação à saúde publica e os meios eficientes para prevenir doenças e promover a saúde. Baseado nisso um plano de prevenção foi lançado contendo 05 áreas chaves definidas pela carta de Ottawa:

  • Construção de políticas públicas de saúde

  • Criação de ambientes de suporte à saúde

  • Fortalecimento de ações comunitárias para a saúde

  • Desenvolvimento da capacitação pessoal

  • Reorientação para os serviços de saúde

O trabalho desse comitê tem conseguido diminuir o número de fumantes, aumentar a prática da atividade física e a consciência nutricional da população. Entretanto os dinamarqueses têm um nível elevado de consumo de álcool e muitos reportam stress. Além disso o cenário sobre estilo de vida indica desigualdade entre comportamentos saudáveis e variáveis sociais e econômicas. Em outras palavras, má saúde e hábitos inadequados são mais frequentes em classes sociais mais baixas. A análise dos dados sobre os fatores determinantes da saúde levou a observações sobre tabagismo, dieta, álcool e exercício.


Sistema de Assistência Médica


Dinamarca tem o que é comumente chamado universalmente de sistema financiado por impostos. Basicamente significa que qualquer residente permanente tem acesso ao essencial da assistência médica sem custos. O sistema é descentralizado policamente, financeiramente e operacionalmente. Hospitais são públicos enquanto que os médicos trabalham para o estado por contrato. Serviços são gratuitos existindo co-pagamento para medicamentos, assistência dentária, fisioterapia, etc. O sistema é caracterizado pelo controle de gastos, razoável produtividade e alto grau de satisfação do usuário apesar de muitas vezes existir lista de espera. A norma é que a responsabilidade de prover cuidados, na maioria das vezes é de responsabilidade dos conselhos municipais.


Como nos demais países desenvolvidos, o gasto com saúde tem crescido mais rápido que os salários devido principalmente ao desenvolvimento demográfico, tecnológico e farmacêutico e também pela alta expectativa de vida da população. Também existe um ótimo sistema privado que tem crescido nos últimos anos pelo número de pessoas que suplementam a cobertura de seu seguro público. O prêmio pago para o seguro privado não é considerado como parte do salário e, portanto, é livre de impostos. Assim, os planos de seguro privados são formas indiretas do financiamento público para serviços de saúde.


O número de hospitais privados tem crescido embora desempenhem um papel menor comparado com o vasto sistema de hospitais públicos. Uma inciativa positiva foi a reforma obrigando a municipalidade ser uma força na prevenção e promoção da saúde.


Influência da Cultura e Mentalidade


É justo definir a Dinamarca como uma sociedade sócio liberal e as discussões acontecem em questões como: “qual o alcance da responsabilidade coletiva com os indivíduos? Qual deve ser a responsabilidade do indivíduo? ”. Elas formam a base dos debates públicos relacionados às questões de saúde. Entretanto só na última década a promoção da saúde começou a ter um papel mais forte nas estratégias de saúde pública.


Separada da maioria das questões básicas da saúde ocupacional como segurança e prevenção primária de riscos, o ambiente de trabalho tradicionalmente nunca foi a origem para iniciativas de bem-estar e estilo de vida e por isso até recentemente falhou em considerar a promoção de saúde como uma tarefa onde o segmento desempenha um papel relevante. Com a forte mensagem política dos últimos anos mostrando o ambiente de trabalho como importante cenário para a promoção da saúde e prevenção de doenças, tem sido possível sentir a mudança de postura dos tomadores de decisão sobre esse nexo. Esse processo tem sido apoiado pelas autoridades e pelas empresas que assumem a responsabilidade de assegurar oportunidades para a melhora da saúde e qualidade de vida.


Os dinamarqueses aceitam e apreciam a responsabilidade pessoal de escolha em relação à comportamentos ligados à saúde. Ao mesmo tempo pedem que o local de trabalho seja estruturado de modo a tornar as escolhas saudáveis óbvias e possíveis. Lógico que existem barreiras nesse processo como o variável número de horas trabalhadas, a difícil separação entre vida pessoal e trabalho e muita gente trabalhando em casa.


Impulsionadores da Promoção de Saúde no Trabalho


O mais importante item é a legislação relacionada à saúde e segurança O foco na Dinamarca tem sido restrito à prevenção de acidentes no trabalho onde os empregadores legalmente devem fornecer segurança e não necessariamente saúde ligada ao estilo de vida. Isso não significa que a promoção de saúde não acontece. Na realidade 9 entre 10 empresas estão engajadas com a promoção da saúde. 20% das empresas tem políticas implementadas no dia a dia e poucas formularam objetivos mensuráveis e impactos consequentes. Este cenário contrasta como fato de que a maioria das empresas se sente responsável em oferecer um ambiente de trabalho confortável que permita lidar com fatores estressantes e relacionados a alimentação, atividade física, etc.


Conclusão


A promoção de saúde na Dinamarca tem ganhado cada vez mais espaço. Futuros esforços devem assegurar a sustentabilidade através de treinamento profissional e educação individual. Normas nacionais deverão ser implementadas a fim de elevar o padrão do aprendizado. Autoridades públicas, companhias privadas e instituições de pesquisas devem trabalhar juntas nessa matéria. É necessário identificar um meio sustentável de ligar esses muitos e variados interesses. O campo está num momento de mudanças com desafios interessantes à frente.


A carta de Otawa diz que “ saúde é criada e vivida por pessoas no dia a dia; onde aprendem, trabalham, desempenham e amam. É criada pelo autocuidado, capacidade de tomar decisões e controlar circunstancias além de assegurar que a sociedade em que vivem crie condições que permitam atingir saúde para todos “. Grandes desafios inspiram grandes trabalhos.

GO AHEAD


Destaques
Arquivo