Promoção da Saúde Corporativa - Cap 8 - ITALIA

Essa série semanal é baseada no livro GLOBAL PERSPECTIVES IN WORKPLACE HEALTH PROMOTION (Karch & Kirsten – Jones & Bartlett NY), no qual participei como co-autor, oferece um relato global do status da promoção de saúde em organizações de 21 países contribuindo para uma força de trabalho mais saudável, aumento da produtividade e redução dos custos de assistência médica.

RICARDO DE MARCHI, MD


GRUPO SAÚDE CORPORATIVA

CAPÍTULO 8 - ITÁLIA


Autor:

· Giuseppe Masanotti MD – Public Health Department - University of Perugia

· Grupos étnicos – Italianos Romanos) mas também umbrios, sabinos, etc.

· Religião – católica romana (90%)

· Lingua oficial – italiano

· Governo – república

· População – 60 milhões

· Idade média – 43,7 anos

· Expectativa de vida – 83 anos

· Renda anual percapita – US$ 34.000,00


INTRODUÇÃO


Itália é uma península localizada no sul da Europa. Comparado com dados internacionais, o país é um dos mais envolvidos com o fenômeno do envelhecimento. Isso obviamente cria mudanças econômicas e sociais particularmente no mercado de trabalho e crescimento econômico. A falta de necessidade de mão de obra se evidenciou pela redução do número de horas trabalhadas ao longo do tempo, aumentando o uso de trabalhadores part-time, aumentando dispensas e abandono de emprego. Entretanto, a taxa de empregos permanece basicamente estável. Além disso a possibilidade de participação no mercado de trabalho ajudou a criar uma tendência positiva de empregabilidade, especialmente para mulheres, cuja taxa de atividade tem aumentado.


No fim do século XX, a Itália foi ranqueada entre os top países industrializados especialmente no hemisfério norte (indústrias químicas, têxteis, veículos, maquinaria pesada, produtos elétricos e alimentos). Há uma disparidade econômica dentro do território italiano que é explicada pelo fato do Norte do país ser bastante desenvolvido industrialmente, enquanto o Sul é bastante agrícola. O país importa cerca de 75% da energia consumida e uma elevada quantidade de matéria-prima. Mais de 30% de sua área de terra ainda é devotada à agricultura, cultivo de frutas e vinhedos.


Com relação às crenças e práticas religiosas a maioria é católica. A principal minoria consiste em imigrantes muçulmanos. A família permanece a instituição mais importante apesar das mudanças que estão acontecendo. O declínio da taxa de nascimento representou a tendência de famílias menores, mas a estrutura permanece a mesma – mais mediterrânea do que do norte da Europa.


A Itália é dividida em 20 regiões e 2 províncias autônomas. Cada região tem um governador e um conselho eleito diretamente pela população residente. Os governos regionais têm considerável autoridade e em particular são responsáveis pela saúde da população. A promoção da saúde é um tema culturalmente debatido, mas na prática ainda não é muito popular. Existem exemplos de boas práticas na implementação do processo de promover a saúde dos empregados, mas poucas comparadas ao número total de empresas e trabalhadores.


Um passo significativo no desenvolvimento foi o estabelecimento do European Network for Workplace Health Promotion (ENWHP) no fim da década de 90. A Universidade de Perugia através de seu departamento de saúde pública foi uma das lideranças nessa área. Lentamente a promoção da saúde tem ganhado consenso e se tornado mais e mais familiar para as empresas.


QUESTÕES PREDOMINANTES


A expectativa de vida ao nascer definitivamente aumentou nos últimos 50 anos. Esse aumento da expectativa de vida e a redução de nascimentos são tendências bem estabelecidas na Itália. Isso implica um aumento significativo da população de idosos que afeta o estabelecimento das necessidades de saúde, criando um cenário epidemiológico que revela a prevalência de certos tipos de doenças que afetam a população mais velha, tais como doenças crônicas degenerativas e câncer.


A doença cardiovascular não é um dos mais importantes problemas públicos, mas na realidade é a principal causa de morte e incapacidade na população mais velha. O tabagismo ainda tem alta prevalência especialmente entre os jovens e mulheres. Abuso de álcool é um item importante e reconhecido como um objetivo da saúde pública. Dieta contribui para estilo de vida pouco saudável, normalmente com pouco consumo de frutas e legumes, excessiva ingestão de gordura e baixo nível de atividade física. A prevalência de obesidade e sobrepeso no norte da Itália é de aproximadamente 21% e no Sul quase 30%. Uma criança em cada quatro tem sobrepeso.


SISTEMA DE ASSISTÊNCIA MÉDICA


A assistência médica é fornecida pelo Servizio Sanitario Nazionale, uma instituição financiada pelo governo que provê assistência a toda a população, através do princípio constitucional de que a proteção à saúde é um direito fundamental do indivíduo e da comunidade. Esse serviço é de responsabilidade do Ministério da Saúde e administrado localmente por unidades de saúde (agências) que protegem a saúde dos cidadãos e trabalhadores através da prevenção, tratamento e reabilitação.


A lei é baseada em 4 princípios:

  1. Garantia de saúde para todos

  2. Acesso e distribuição de serviços igualitariamente

  3. Gratuito para os cidadãos italianos

  4. Proteção e respeito à dignidade do individuo

O SSN compartilha a responsabilidade com governo nacional, regional e local, com participação ativa da população. É financiado através do imposto com o objetivo de garantir níveis semelhantes de atenção a todos. A contribuição individual independe do risco ou da quantidade de serviços, porém baseada na capacidade individual de pagamento. Geralmente gratuíto ou com pequeno pagamento, todos podem receber procedimentos diagnósticos e tratamentos de médicos de família. Prevenção primária e secundária e reabilitação seguem esse mesmo protocolo.


A prática da medicina ocupacional é regulada por um decreto legislativo que é uma coleção de regulamentos e ações de prevenção no local de trabalho. Esse decreto indica dois níveis de prevenção:

  • No primeiro nível, a empresa deve garantir a saúde e a segurança de seus empregados. Para investigar a saúde e o meio ambiente, médicos colaboram com empregadores para avaliar riscos e decidem que medidas devem ser tomadas. A participação dos empregados, critério básico de prevenção no local de trabalho, é assegurada por um representante dos empregados para prevenção e segurança que tem parte ativa na aplicação dos regulamentos.

  • O segundo nÍvel de prevenção é delineado no decreto e envolve os serviços de saúde locais, tendo a responsabilidade de checar e monitorar a aplicação das leis relativas à saúde e segurança. Atualmente a lei adicionou a promoção da saúde e a avaliação de fatores psicossociais em seu escopo.

O gasto com saúde representa 7% do PIB e continua a crescer, principalmente pelo envelhecimento da população. Medicamentos também tem seu preço nominal crescente. As instalações de saúde variam em termos de qualidade em diferentes regiões.


Viver com Saúde


A promoção de saúde é um fator determinante de bem-estar do indivíduo para a boa qualidade da vida, mas também para a sustentabilidade do sistema de saúde. Envolve estilo de vida, diagnóstico precoce, vacinação e prevenção de acidentes em casa, no trabalho, nas estradas e no tempo livre, a segurança do que se come e bebe e a proteção de crianças. Ela se baseia na Carta de Ottawa, um importante documento de referência para o desenvolvimento de políticas que visam a saúde. Foca sobretudo em alcançar a igualdade nas condições de saúde e mira na redução de diferenças da atual estratificação social, oferecendo a todos, oportunidades iguais e recursos para conseguir o máximo potencial possível de saúde. Compreende o equilíbrio entre um ambiente acolhedor, acesso a informação, competência necessária e possibilidade de escolhas adequadas.


Saúde é essencial para o desenvolvimento social, econômico e pessoal e aspecto fundamental da qualidade de vida. Os fatores políticos, econômicos, sociais, culturais, ambientais comportamentais e biológicos podem favorecê-la assim como prejudicá-la.


Entre várias definições da OMS, promoção de saúde é o processo que permite ao indivíduo exercitar um maior controle sobre a própria saúde e de melhorá-la. Essa definição implica:

  1. Criação de um ambiente que ofereça suporte adequado para a obtenção de saúde na vida e no trabalho através de condições de segurança e satisfação.

  2. Reforço da ação comunitária que deve ser sustentada para poder operar com autonomia

  3. Reorientação do serviço de saúde na lógica de torná-lo mais adequado para interagir com outros setores

  4. A promoção não é responsabilidade exclusiva do setor de saúde, devendo ter uma abordagem intersetorial (educação, cultura, transporte, agricultura, turismo, etc)

Em 2012 foi fundado a SIPS (Società Italiana Promozione Salute) uma sociedade cientifica com organização nacional e articulação territorial a nível regional com a finalidade de:

  • Favorecer pesquisas e desenvolvimento cientifico

  • Desenvolver e difundir conhecimento, competência profissional e boas práticas baseadas em evidencias

  • Promover a cultura de integração interdisciplinar, interprofisional, intersetorial

  • Apoiar a política de promoção de saude da administração local, regional e nacional assim como de organizações, associações e empresas envolvidas neste âmbito.

  • Promover e colaborar com atividades de caráter cientifico, educacional e de divulgação da promoção da saúde.

  • Fornecer consultoria cientifica

La Nostra Salute – um guia para o cidadão sobre a assistência médica, prevenção, doenças mais importantes, estilo de vida saudável, desenvolvido em colaboração com o Istituto Superiore di Sanità. Visa aumentar o conhecimento sobre o tema, favorecer as escolhas em saúde e o uso responsável da assistência médica.

INFLUÊNCIA DA CULTURA E MENTALIDADE


Itália é um pais rico em tradições e heranças. Os italianos são muito barulhentos: falam alto, batem porta, pisam forte. É uma povo sonoro e musical. A hora do jantar na Itália é uma sinfonia de pratos e talheres batendo, conversas altas e risadas. Uma parte dessa herança é o papel do álcool na vida diária. Especialmente o vinho está presente desde os velhos tempos e como um pais mediterrâneo a produção e o marketing do vinho é uma importante questão econômica. Tomar vinho faz parte da vida e valores e tradições relacionadas ao vinho são culturais.


Em 2007 um estudo investigou a relação entre a mudança de hábitos na dieta do italiano e a cultura da alimentação no pais. Mostrou que os italianos são tradicionalistas sendo os últimos da lista europeia de mudança de hábitos alimentares. Estão descobrindo os prazeres do café da manhã, o qual inclui frutas, cereais, leite e não somente café.


O ritmo de trabalho influencia os hábitos nutricionais. Para muitos o jantar é a principal refeição e o tempo dedicado ao trabalho reduz o tempo de cozinhar, contribuindo para alimentos pré-prontos. A globalização também contribui para os hábitos alimentares como fast foods. A cultura alimentar tem se tornado uma área de interesse para os italianos e a adoção do estilo de vida ocidental tem um forte efeito negativo nesse tópico. Além disso, desde que carros ficaram mais populares a população se tornou menos inclinada à prática de atividade física.


IMPULSIONADORES DA PROMOÇÃO DA SAÚDE NO TRABALHO


A lei 833 de 1970 transferiu o controle da saúde dos trabalhadores para as estruturas locais da SSN. Isso melhorou a qualidade e em diversas regiões a promoção da saúde e a educação se tornaram importantes estratégias para os profissionais colocarem sobre a mesa de discussões. Os princípios da promoção da saúde estão presentes a nível local e regional e a SSN fornece uma clara estrutura para isso. O direito a uma vida saudável é limitado por inúmeros fatores como o cenario econômico, a visão dos empregados, as regras do mercado e a força do marketing.


Em 1996 a Itália aderiu ao European Network for Workplace Health Promotion que foca na conscientização da saúde no trabalho, encorajando a adoção de políticas de desenvolvimento de recursos humanos para a promoção da saúde superando uma atitude de passividade com a legislação e padrões vigentes.


Uma análise mostrou que a adoção de estratégias corretas de responsabilidade social pode ter uma especifica repercussão na implementação de programas de promoção de saúde no trabalho enquanto reduz acidentes e doenças ocupacionais.


Atualmente os pontos principais da promoção de saúde são os governos regionais, prefeituras e as companhias. O governo central em colaboração com as regiões define um mínimo de serviços que deve fornecer. O resto depende do orçamento regional e know-how. As companhias que já tem essa filosofia integrada também servem de estímulo. Seus sucessos atraem o interesse de outras empresas e da mídia.


Um bom exemplo é um programa chamado Azienda Sana organizado pela região do Veneto em colaboração com interessados a nível regional. Aberto a companhias públicas e privadas com o objetivo de reconhecer e recompensar projetos e iniciativas que desenvolvem padrões de qualidade relacionados a informação e treinamento em saúde, implementação de sistemas de gestão e promoção da responsabilidade social.


Fornece também oportunidade para maior conscientização da saúde no trabalho, para maior comprometimento e investimento de companhias dedicadas à melhoria das condições de trabalho e de saúde e facilitam a circulação de experiências significativas de outras empresas. Atualmente todas as companhias participantes (400) criaram uma rede regional de companhias saudáveis que trabalham em colaboração como os serviços de saúde locais e pesquisam evidências de sucesso, tentando a melhora contínua de seus sistemas de gestão.

CONCLUSÃO


A promoção da saúde é um processo de conscientização e mudanças que envolve diretamente todos os interessados (trabalhadores e empresa) e promove o bem-estar e a adoção de estilo de vida saudável. Atualmente a demanda é ainda baixa pelas obrigações regulatórias existentes. Entretanto, é esperado e desejado que o apoio à promoção de saúde cresça exponencialmente.

Há uma transição de uma visão estática (gestão de risco) para uma ênfase mais dinâmica (gestão da própria saúde). É evidente que muita coisa ainda deverá ser feita para a evolução da cultura da saúde.


GO AHEAD


Destaques
Arquivo
Acompanhe
  • Grey LinkedIn Icon
  • Cinzento Ícone Google+
  • Grey YouTube Icon