REFORÇO DA IMUNIDADE


GRUPO SAÚDE CORPORATIVA


O sistema imunológico é essencial para que o organismo consiga se defender da ação de agentes nocivos à saúde. Portanto, quando ele é comprometido deve-se redobrar a atenção para os riscos, ainda mais porque diversos fatores contribuem para uma baixa na imunidade. Suplementos, dieta ou modificação no estilo de vida não dão proteção ao desenvolvimento da COVID-19 se não houver distanciamento fisico e higiene adequada ao mesmo tempo. Reforçar a saúde imunológica e ajudar o corpo a combater viroses e infecções é mais fácil falar do que fazer. Diferentes dietas e mudanças no estilo de vida podem fortalecer as defesas orgânicas naturais e ajudar na luta contra organismos patogênicos nocivos. As dicas abaixo reforçam a imunidade naturalmente, mas não protegem especificamente contra a COVID-19.


1 – TENHA UMA QUANTIDADE DE SONO SUFICIENTEsono e imunidade tem forte vinculação. Pouco sono é relacionado a maior suscetibilidade a doenças. Um estudo com adultos saudáveis, os que dormiram menos de 06 horas por noite tiveram maior probabilidade de pegar um resfriado do que os que dormiram 6 ou mais horas por noite. Repouso adequado fortalece a imunidade natural. Tendo problemas para dormir, limite o tempo em frente a telas até uma hora antes de deitar, pois a luz azul emitida pelo celular, TV e computador podem perturbar o ciclo circadiano e seu ciclo dormir/ acordar. Outras dicas incluem dormir em ambiente completamente escuro, ir para a cama no mesmo horário e praticar atividade física regularmente.


2 – COMA MAIS VEGETAIS – frutas, verduras, frutas secas, castanhas sementes e legumes são ricos em nutrientes e antioxidantes, podendo dar uma ajuda contra patógenos nocivos. Os antioxidantes nesses alimentos ajudam a diminuir processos inflamatórios combatendo compostos instáveis chamados radicais livres que causam inflamações quando em alta quantidade no corpo. Inflamações crônicas são ligadas a numerosas condições relacionadas à saúde como doenças cardíacas, Alzheimer e certos tipos de câncer. Enquanto isso as fibras dessas plantas alimentam o micro bioma intestinal o qual melhora a imunidade e evita que patógenos invadam o corpo através do trato intestinal. Além disso frutas e vegetais são ricos em nutrientes como Vit C, a qual reduz a duração do resfriado comum.


3 – PROCURE INGERIR GORDURAS SAUDÁVEIS as gorduras encontradas no azeite de oliva e no salmão estimulam a imunidade através da diminuição da inflamação. O azeite tem forte ação anti-inflamatória e está ligado à diminuição de doenças cardíacas e diabetes tipo II e ajuda o corpo a combater bactérias e vírus. O ômega-3 presente no salmão e na semente de chia também são bons contra a inflamação.


4 – COMA MAIS ALIMENTOS FERMENTADOS OU TOME UM SUPLEMENTO PROBIOTICO alimentos fermentados são ricos em bactérias benéficas chamadas de probióticos que habitam o trato digestivo – esses alimentos incluem iogurte, chucrute, kimchi (alimento coreano feito com repolho, alho e pimenta), kefir (alimento probiótico com leite) e soja fermentada (natto). Uma flora intestinal rica permite as células de defesa, diferenciarem ente as células saudáveis e os organismos invasores prejudiciais. Se você não ingere alimentos fermentados, probióticos são outra opção. Encontrados em pó ou capsulas feitos de microrganismos vivos benéficos, e convertem fibras em ácidos graxos de cadeia curta, sintetizando certas vitaminas e reforçando o sistema imunológico. Não devem ser confundidos com prebióticos que são fibras que servem como fonte de alimento para as bactérias que vivem no cólon.


5 - LIMITE AO MÁXIMO A QUANTIDADE DE AÇUCAR adição de açúcar e carboidratos refinados contribuem desproporcionalmente para o excesso de peso e obesidade a qual aumenta o risco de doenças. Um estudo mostrou que indivíduos obesos que receberam vacina contra a gripe foram duas vezes mais propensos a continuarem gripados que indivíduos sem obesidade que tb receberam a vacina. Restringir a ingestão de açúcar pode diminuir processos inflamatórios e ajudar a perder peso, assim reduzindo o risco de condições crônicas como a diabetes tipo II e doenças cardíacas que enfraquecem a imunidade. O consumo de açúcar deve ser limitado a menos de 5% das calorias diárias. Isso equivale a 2 colheres de sopa (25gr) para uma dieta de 2000 calorias


6 – PRATIQUE EXERCICIOS MODERADOS REGULARMENTE apesar de que exercícios prolongados de alta intensidade poderem enfraquecer sua resposta imunitária, exercícios moderados ao contrário, estimulam imunidade. Estudos mostram que mesmo uma única sessão de exercício moderado pode estimular a efetividade de vacinas em pessoas com a imunidade comprometida. Além disso podem reduzir a inflamação e ajudar a regeneração das células de defesa. A Irisina, secretada durante exercícios pela musculatura esquelética favorece a conversão da gordura branca em marrom, aumentando a termogênese e o gasto calórico auxiliando no processo de redução do peso corporal (o tecido gorduroso aparentemente serve como repositório do vírus da COVID- 19 e isso explica porque indivíduos obesos tem maior risco de desenvolver a forma grave da doença). Além disso, a Irisina também se correlaciona positivamente com a sensibilidade do organismo à insulina. Exemplos de exercícios moderados: caminhada, jogging, escalada leve, bicicleta estacionaria sem carga, etc – pelo menos 150 minutos por semana.


7- SE MANTENHA HIDRATADO (A) hidratação não necessariamente protege contra germes ou vírus, mas a prevenção da desidratação é importante para a boa saúde pois pode resultar em dores de cabeça, prejudicar a performance física, o humor, a digestão, a função cardíaca e a renal. Essas complicações podem aumentar a suscetibilidade a doenças. A ingestão adequada de líquidos no dia a dia previne a desidratação e é percebida quando a urina está amarela clara. Agua não tem calorias, aditivos e açúcar enquanto chá ou sucos tb hidratam, mas os níveis de açúcar devem ser observados. Como norma vc deve beber quando sentir sede e precisa de mais fluidos quando pratica exercícios que elevam a transpiração. Com a idade as pessoas começam a perder a sensação de urgência da sede pelo fato de que o corpo não sinaliza “sede” adequadamente. Por isso adultos mais velhos devem beber regularmente mesmo que não sintam sede.

8- GERENCIE O NIVEL DO STRESS o alivio do stress e da ansiedade é chave para a saúde imunitária. O stress a longo prazo promove a inflamação assim como desequilíbrio na função das células de defesa do organismo atividade que ajudam a atenuar o stress incluem meditação, exercício, yoga, respiração profunda, etc.


9 – USE SUPLEMENTOS DE FORMA INTELIGENTE – é fácil começar a tomar suplementos se você ouve o dia todo sobre os benefícios que eles proporcionam para prevenir ou tratar a COVID-19. Entretanto, essa afirmação ainda é pouco fundamentada. O NIH (National Institute of Health) não existem evidencias estudadas que suportem o uso de qualquer suplemento para prevenir ou tratar a COVID-19, entretanto estudos mostram que alguns suplementos fortalecem a resposta imunitária do organismo - Vitamina C, Vitamina D, zinco, equinácea, alho, etc.


CONCLUSÃO - apesar de que nenhuma dessas sugestões previnem a COVID-19, reforçam a imunidade e certamente repercutem positivamente na resposta do organismo a essa virose.

Destaques
Arquivo
Acompanhe
  • Grey LinkedIn Icon
  • Cinzento Ícone Google+
  • Grey YouTube Icon

São Paulo - Brasil contato@cph.com.br

  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+