UPDATE NA SAÚDE GLOBAL



Segundo Robert Karch, professor na American University na disciplina de Saúde Global, a gestão de saúde está envolvendo o mundo como estratégia para valorizar as ações de uma companhia (o ativo chamado “capital humano” e sua contribuição para a produtividade e competitividade).

Apesar dos diferentes modelos de assistência médica existentes no mundo, a gestão da saúde é universalmente entendida pela óbvia ligação entre saúde do empregado e capacidade de trabalho. Está ganhando terreno muito rápido e pode se tornar uma nova fronteira da competitividade ainda mais agora no momento pós pandemia onde ações inovadoras deverão ser instituídas.


Três componentes são chaves:


1. Identificação das questões mais críticas de saúde associadas à perda de produtividade no trabalho.

2. Seleção de intervenções que reduzam os riscos de saúde e gerenciem as condições crônicas que causam essas perdas

3. Mensuração da melhoria na saúde e os ganhos resultantes na produtividade por essas intervenções

TÓPICOS NO TOPO DA AGENDA DA SAÚDE GLOBAL

1) Promoção da saúde - a relação entre o que as empresas desejam e o que as evidências dizem

  • O que as empresas entendem sobre programas de promoção de saúde?

  • Quais as barreiras e os facilitadores para que as empresas incorporem a saúde em sua rotina diária?

  • Que programas estão sendo implementados e porque?

  • Quais programas são baseados em evidencias e resultados comprovados?

  • Qual o caminho que permita à promoção da saúde ter um impacto signicativo no bem estar e na produtividade?

2) A abordagem para mudar


As empresas têm a responsabilidade de oferecer aos seus empregados iniciativas em saúde que reduzam o absenteismo, as taxas de acidentes, as doenças e ao mesmo tempo aumentem a produtividade, a coesão do grupo de empregados e a auto-estima. Companhias estão percebendo o beneficio existente na adoção de iniciativas abrangentes em saúde ao invés de programas isolados. Uma abordagem multifactorial considerando politicas, meio ambiente e comportamento individual é sempre um desafio para ser adotado. Nesse contexto existe uma variedade de fatores que podem ser desenvolvidos incluindo ambiente de trabalho, cultura e comportamento.

3) Estado atual da mensuração no campo da gestão da saúde e produtividade


A demonstração da efetividade de uma gestão integrada de saúde se tornou mais complexa mas ao mesmo tempo mais forte com o aumento do uso de diferentes medidas no impacto do absenteismo, presenteismo, retenção, segurança e cultura organizacional. Esse argumento não precisa mais considerar somente o exame dos custos médicos. Na realidade os custos ligados ao estilo de vida são reconhecidos como componentes importantes no custo total que pode ser afetado por iniciativas que melhorem a saúde.

4) Engajamento de empregados de alto risco e facilitação de mudanças comportamentais positivas


Uma ação cada vez mais relevante é conhecer o estilo de vida dos empregados e engajar aqueles de alto risco em processos que levem a melhorias quantificáveis no estado de saúde e de desempenho no trabalho. As evidências mostram que 67% dos empregados tem um nivel de saude e bem-estar abaixo do recomendado e que 39% são de alto risco fazendo com que a perda de produtividade seja aproximadamente da ordem de 30%. daí a importância da educação em saúde qua qual será a proxima fronteira na área de treinamento.

5) A importância do bem-estar.


Um dos pontos é complementar a mensuração da doença com a mensuração da boa saúde usando a educação como veículo de mudança. Evidencias mostram que essa ação educacional pode fazer a diferença em relação ao absenteismo, presenteismo, uso do plano médico e satisfação no trabalho. O sucesso depende de atenção total e pode ser limitado, pois as pessoas estão cansadas de escutar o que fazer e querem sentir maior controle sobre sua propria saude e bem-estar. Se forem formados times com mais energia, vigor, vitalidade e resistência certamente haverão reflexões na produtividade. Simplesmente entregar conteúdo não funciona.

6) Impacto da depressão e da ansiedade


Uma grande parte da população corporativa, principalmente nesse momento de pandemia, experimenta diferentes níveis de depressão e ansiedade gerando grandes perdas de produtividade e custos maiores de assistencia médica. Depressão no mundo atual afeta a todos, direta ou indiretamente, e as empresas reconhecem a importância desse tema na motivação e engajamento de seus empregados. Será importante monitorar o bem-estar de seu time. Falta de conscientização e entendimento pode levar a situações dificeis as quais aparecem na forma de distanciamento e comorbidades.


Conscientização gerencial, impacto no negócio e o modelo de ação, são questões essenciais no ambiente corporativo. Como enfrentar essas questões e suas conseqüências em nivel individual e organizacional; como agir precocemente e entender as perspectivas preventivas serão as proximas páginas da agenda da saúde corporativa cobrindo os seguintes topicos:

  • Informação sobre o impacto da depressão no individuo e na empresa

  • As implicações legais para o negócio

  • Dicas para gerenciar um empregado deprimido

  • Habilidades práticas para abordar um empregado que preocupa

  • Discussão sobre o papel da liderança e as estrategias para abordar a saude mental

  • Disponibilidade de suporte.

Essas temáticas estarão na lista de prioridades que serão enfrentadas na nova saúde corporativa pós pandemia...GO AHEAD

Destaques
Arquivo
Acompanhe
  • Grey LinkedIn Icon
  • Cinzento Ícone Google+
  • Grey YouTube Icon

São Paulo - Brasil contato@cph.com.br

  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon
  • Branco Ícone Google+